O atual prefeito da cidade do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB) anunciou recentemente que não irá permitir que a exposição Queermuseu entre em exibição no Museu da Arte do Rio (MAR).

Desde a polêmica que envolve as obras da exposição, vem sido feita uma negociação entre os produtores e a direção do espaço artístico, para que as pinturas (supostamente com apologia à zoofilia, pedofilia e vilipêndio a símbolos religiosos) sejam expostas.

O político fez uso das suas redes sociais para assegurar que não irá autorizar que a exposição seja aberta no Rio de Janeiro.

“Aqui no Rio a gente não quer essa exposição. Saiu no jornal que ia ser no MAR. Só se for no fundo do mar, porque no Museu de Arte do Rio, não”, declarou.

Para quem não se lembra, a famosa exposição “Queermuseu – Cartografias da Diferença na Arte Brasileira” gerou polêmica no Estado do Rio Grande do Sul, onde foi patrocinada pelo Banco Santander.

Após o seu fechamento por conta das altas críticas provindas da população, vinha sendo negociada a reabertura do evento na cidade, segundo as informações do jornal O Globo, através das declarações do diretor cultural do Museu da Arte do Rio, Evandro Salles.

Já o curador Gaudêncio Fidelis, concedeu uma entrevista ao mesmo veículo e informou que estava trabalhando para que a exposição fosse levada a outros municípios, como Belo Horizonte (MG), por exemplo.

Fidelis lançou críticas à postura do Banco Santander por cancelar a exposição por causa das críticas ao conteúdo da exposição.

Famosos fazem campanha em prol da exposição Queermuseu

Os artistas Reynaldo Gianecchini, Carolina Ferraz, Fabiana Karla e Cissa Guimarães fizeram uso das redes sociais para compartilhar vídeos no qual eles integram uma campanha contra a censura da mostra Queermuseu, que foi cancelada em Porto Alegre pelo Santander, no dia 10 de setembro.

Para auxiliar no compartilhamento da campanha, os famosos estão fazendo uso da hastag “342artes”.

Além de apoiarem a exposição, os artistas também manifestam depoimentos relacionados à performance de um homem nu no Museu da Arte Moderna, em São Paulo.

A atriz Fernanda Montenegro também discursou em um vídeo em prol às artes, e declarou: “Tudo é cultura, inclusive a cultura de repressão.

Mas só há um tipo de cultura que realmente constrói um país: é a cultura da liberdade.

A cultura liberta cria a alma de uma nação. Nessa nossa luta de sobrevivência cultural, peço aos poucos e honestos políticos que ainda existem, que se posicionem.

Saiam, por favor desse silencio acovardado. Do contrário, nem a pele desses políticos vai se salvar”.

Mostra Queermuseu é desmontada em Porto Alegre e obras devem voltar para os artistas

A polêmica exposição que foi cancelada pelo Santander começou a ser desmontada no dia 8 de outubro. A mostra que sofre com a pausa até ser reaberta deverá ter suas obras entregues aos seus proprietários. Soma-se mais de 200 quadros.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here